quinta-feira, 3 de junho de 2010

Recordações

Quando as recordações entram de rompante há uma lágrima que rola pelo rosto dela. São coisas que estão recalcadas, pelas quais Ela não quer passar nem em pensamentos.
A vida segue o seu curso normal ou...dito normal. A vida segue e Ela segue com a vida.
Pega nas chaves e sai, não sabe as horas, apenas tem aquelas recordações que de repente lhe surgem sem a avisar. Vagueia. Senta-se no meio do nada. Chora até ficar vazia. Adormece.
É noite e está frio. Desorientada tenta voltar a casa. Encontra o caminho sem se perder.
Cabeça vazia. Deita-se e volta a adormecer.

2 comentários:

Unknown disse...

Eu sei bem que género de recordações te afligem... mas fazem parte de uma história, duma história que cada um de nós escreve todos os dias. A vida teria menos brilho sem esse ou qualquer outro tipo de recordações.

Voltou sim finalmente, o "eu" percebeu o seu valor e com isso percebeu que não é ele que perderá no final de contas. =) Bonito texto o teu. Beijinho

Hapi disse...

As recordações são o melhor e o pior do mundo.
Beijinho